Idosos que iniciam atividade física têm aumento na expectativa de vida

Quem começa a se exercitar mais tarde tem aumento na longevidade.
Redução do risco de infarto e melhora do sono são outros benefícios.

Você acha que não dá mais tempo de se preparar pra ter uma velhice de qualidade? Vai se surpreender com as histórias de idosos que começaram a se exercitar mais tarde e hoje estão mais do que prontos pra viver com saúde até o final da vida. Pra falar sobre longevidade, o Bem Estar recebeu o médico do esporte Leandro Echenique e o geriatra Carlos André Freitas dos Santos.

A atividade física melhora as conexões cerebrais. Quando fazemos exercícios, os músculos liberam proteínas que agem no cérebro, estimulando as conexões cerebrais. Quando as conexões aumentam,  há melhora de memória, de concentração e do sono.

Por onde começar
– Faça uma caminhada de 10 minutos, cinco vezes por semana. A caminhada que traz benefícios à saúde é aquela que deixa a pessoa ofegante, mas que ainda permite conversar. Quando já estiver confortável com os 10 minutos, aumente o tempo.
–  Faça alongamento, musculação e exercícios de equilíbrio pelo menos duas vezes por semana.
– A musculação deve ser feita com peso leve e oito repetições em cada região do corpo. Se não conseguir terminar as oito, diminua o peso ou faça sem nada.

Benefícios da atividade física para idosos
Pesquisas recentes mostram que iniciar uma atividade física, mesmo após os 70 anos, traz inúmeros benefícios:
– Reduz risco de infarto
– Aumenta o tempo de vida
– Melhora a flexibilidade, força muscular e condicionamento físico
– Reduz o risco de quedas
– Reduz a osteoporose
– Melhora do sono
– Reduz a ansiedade e melhora o humor
– Controla o diabetes e a pressão arterial

 

Dany Lederman

Fonte: Portal G1

27/11/15

Anúncios

Hipertensão é silenciosa e pode afetar os olhos, os rins e causar demência

Sintomas que aparecem indicam comprometimento de algum órgão.
Ingerir sal por causa da pressão baixa só tem efeito 24 horas depois

 

O Bem Estar falou sobre os mitos e verdades que envolvem a pressão arterial, tanto a baixa quanto a alta. O nosso consultor, o cardiologista Roberto Kalil, e o nefrologista Decio Mion estiveram no programa pra tirar as principais dúvidas.

A pressão arterial é a força que o coração faz, apertando (sistólica) e relaxando (diastólica), para mandar sangue para o corpo e garantir que todos os vasos e veias sejam oxigenados. O problema de pressão existe por causa da vasoconstrição. Segundo o dr Décio Mion, a veia é como se fosse uma mangueira. Enquanto a água flui, o sistema está normal. Mas se pressionarmos o bico da mangueira, a pressão aumentará (e a água acaba indo mais longe).

Mitos e verdades

HIPERTENSÃO:
– Só idosos têm hipertensão. MITO. A hipertensão é uma junção de carga hereditária com hábitos de vida ruins e pode se manifestar até em jovens.

– Se eu não tenho nenhum sintoma, minha pressão é normal. MITO: A hipertensão é uma doença silenciosa. Os “sintomas” que podem aparecer já indicam algum comprometimento. No caso da dor: não é a pressão que dá dor de cabeça, mas sim a dor (qualquer dor) eleva a pressão.

– A pressão é estável durante todo o dia. MITO: A pressão arterial tende a ser maior nas primeiras horas da manhã e tende a diminuir pela noite. A pressão varia a cada batimento, e varia com emoções e atividades físicas.

– O estresse causa aumento da pressão. VERDADE: o estresse aumenta a frequência cardíaca e libera substâncias (adrenalina e noradrenalina) que contraem os vasos sanguíneos, causando um descompasso no sistema. Mas o estresse crônico NÃO LEVA ao desenvolvimento do quadro de hipertensão.

– Tomar café aumenta a pressão. MITO: Consumir mais de 5 xícaras de café pode levar a um leve aumento da pressão, principalmente em quem não o consome regularmente. Mas consumir café cronicamente com moderação diminui casos de diabetes e, a longo prazo, as propriedades antioxidantes da bebida ajudam na capacidade de dilatação dos vasos e diminuem a oxidação de gorduras, ajudando no controle da pressão arterial.

– Fumar aumenta a pressão. VERDADE. A nicotina estimula a produção de adrenalina e noradrenalina, que aumentam a frequência dos batimentos cardíacos e da pressão, dificultam a passagem do sangue e aumentam a necessidade de oxigênio. Hipertensos que fumam aumentam a chance de ter arterosclerose, a obstrução do vaso, impedindo o fluxo sanguíneo.

– Idosos e diabéticos têm mais dificuldade em controlar a pressão arterial. VERDADE. Com a idade e com o diabetes, há uma perda do controle dos centros nervosos que controlam a pressão dos vasos.

 

HIPOTENSÃO, A PRESSÃO BAIXA:
– Em caso de pressão baixa, o melhor a fazer é colocar um pouco de sal embaixo da língua. MITO. Segundo o dr Décio Mion, a ingestão de sal só aumenta a pressão em 24h ou 48h, após a ação das funções renais. A recomendação, em casos de quedas bruscas, é sentar ou deitar e elevar as pernas. De maneira regular, é recomendado fazer uma boa hidratação e controlar a alimentação. Procurar saber se a pressão baixa está sendo causada por alguma outra condição de saúde que merece cuidado.

– Calor pode alterar a pressão arterial. VERDADE. O calor estimula a dilatação das veias, baixando a pressão.

ALIMENTAÇÃO:
– Controlar o consumo de sal é um importante fator na luta contra a hipertensão. VERDADE. O sal estimula a contração dos vasos sanguíneos. E não é só o sal que colocamos na comida (no preparo ou à mesa) que precisa ser controlado, mas também os alimentos com sódio, que é usado como conservante. Embutidos, macarrão instantâneo (50% da recomendação diária), lasanha congelada (61% da recomendação diária) são alguns alimentos que devem ser evitados.

– Potássio ajuda no controle da pressão. VERDADE. A inclusão de alimentos ricos em potássio, como banana, mamão, melão, espinafre, tomate, feijão e cenoura, podem ajudar no controle e manutenção das veias e vasos.

AO LONGO DOS ANOS:
– A pressão alta pode afetar os olhos. VERDADE. A hipertensão agride as artérias, inclusive as que alimentam as estruturas dos olhos. A hipertensão pode causar alterações na mácula, estrutura responsável pela visão de detalhes.

– A pressão pode afetar os rins. VERDADE. O rim é um órgão muito vascularizado, por isso a hipertensão pode sobrecarregar seu funcionamento e, ao longo do tempo, comprometer funções vitais e levar à insuficiência renal.

– A hipertensão pode causar demência. VERDADE. A hipertensão prolongada pode levar a uma progressiva e irreversível perda das funções intelectuais, resultante de lesões cerebrais. Os quadros de hipertensão podem causar doença aterosclerótica difusa em pequenas artérias cerebrais, que pode levar à atrofia mesangial temporal, demência vascular e à doença de Alzheimer.

 

Dany Lederman

Fonte: Portal G1

25/11/15

Como fazer exercícios quando se trabalha sentado o dia todo

Thinkstock

saude_01

Vários estudos divulgados ao longo dos anos apontaram os danos causados pelo sedentarismo.

As pesquisas, em vários países, advertem que ficar muito tempo sentado pode chegar a ser tão prejudicial para a saúde como fumar.

E um estudo divulgado na revista especializada British Journal of Sports Medicine recomenda que a pessoa fique de pé pelo menos por duas horas por dia para evitar os efeitos negativos de passar a maior parte do dia sentado.

Um dos estudos mais recentes, publicado em 2015 por David Alter, no Instituto de Reabilitação de Toronto, no Canadá, concluiu que a maioria das pessoas passa mais da metade do dia de maneira sedentária, seja no trabalho ou em casa.

Segundo a pesquisa de Alter, a falta de mobilidade reduz a expectativa de vida em cerca de dois anos e aumenta a possibilidade de doenças cardíacas, diabetes e câncer.

Para reduzir o risco destas doenças, o ideal é incorporar certas rotinas que estimulem uma vida mais ativa, como levantar da cadeira a cada meia hora ou caminhar dentro do escritório, por exemplo.

Mas, se for impossível mesmo se separar da cadeira e do computador ou se não dá para escapar da mesa de reuniões, a BBC Mundo compilou seis conselhos para o trabalhador de escritório se manter ativo mesmo sentado.

Com esta série de exercícios é possível trabalhar praticamente toda a musculatura da parte inferior do corpo, “que é a que se atrofia com maior facilidade, por inatividade ou sedentarismo”, como afirmou Juan Francisco Marco, professor do centro de ciência esportiva, treinamento e fitness Alto Rendimento, na Espanha.
1. Extensão da perna

BBC

saude_02

Levantar e esticar as pernas, de forma alternada ou simultânea. É um trabalho específico para o quadríceps.

2. Curl isométrico

BBC

saude_03

Também pode ser de forma alternada ou simultânea. Consiste em pressionar os calcanhares nos pés da cadeira, com as pernas flexionadas, como se a pessoa quisesse quebrar o pé da cadeira. É um exercício para os isquiotibiais.

3. Adução de pernas

BBC

saude_04

É preciso colocar um livro, uma garrafa plástica ou qualquer outro objeto entre as penas, na face interna dos músculos. A pessoa faz pressão para dentro em um exercício específico para os adutores.

4. Abdução de pernas

BBC

saude_05

Seja de forma simultânea ou alternando as pernas, este exercício trabalha especificamente os abdutores e glúteos. Com as mãos podemos exercer uma resistência empurrando os joelhos para fora.

5. Extensões para os pés (alternada ou simultânea)

BBC

saude_06

Consiste em elevar os calcanhares até que os pés fiquem apoiados nos dedos. Trabalha o músculo tríceps sural.

6. Flexões dos pés com a perna estendida (alternada ou simultânea)

BBC

saude_07

Com a perna estendida, a pessoa eleva o peito do pé, vira o pé para cima. Este exercício trabalha especialmente o tibial anterior.

O professor Marco afirma que, exceto no caso do exercício de curl isométrico, que deve ser feito em três séries de 20 segundos de duração cada, “os outros podem ser feitos em três séries com 20 repetições cada, para manter uma maior atividade neuromotora nos músculos envolvidos”.

Marco também afirmou que a parte superior do corpo “costuma se movimentar constantemente, mesmo que passemos muito tempo sentados”.

 

BBC

saude_09

No entanto também há exercícios para esta parte do corpo como levantar os braços ou abrir e fechar as mãos. Este último, se for feito com uma bolinha de borracha, é ainda mais eficaz.

Apesar destes conselhos e exercícios, o preparador físico espanhol afirma que o mais recomendado ainda é se levantar da cadeira, parar por alguns minutos e caminhar um pouco obedecendo a certos intervalos.

 

Dany Lederman

Fonte: Portal UOL

24/11/15

Exercícios para o músculo da garganta ajudam a diminuir o ronco

Para quem tem sono leve, dormir com um ‘roncador’ é um pesadelo.
Roncar aumenta os batimentos cardíacos e pressão arterial.

 

Para quem tem sono leve, dormir com alguém que ronca pode se tornar um pesadelo. O problema é que quem ronca quase nunca percebe. É importante saber de onde vem o ronco e o que ele está causando na saúde da pessoa que ronca e na dos outros. Por exemplo, roncar aumenta os batimentos cardíacos e a pressão arterial. Pode até provocar uma parada cardíaca.

E o Bem Estar falou sobre o ronco com os convidados, o consultor e cardiologista Roberto Kalil e o pneumologista Geraldo Lorenzi.

O ronco pode ter diversos motivos. O problema pode ser decorrente da flacidez de músculos, de obstrução no nariz, do aumento de peso e consequentemente do pescoço, do abuso de álcool ou tudo isso junto. Quanto mais velho ficamos, maior a flacidez e o risco de roncar. Homens sofrem mais com os roncos e as mulheres com a insônia.

Alguns exercícios para o músculo da garganta podem ajudar a acabar com o ronco. Um deles consiste em fazer força para levantar o sininho da garganta, segurar e relaxar. Em outro exercício, tente colocar a língua no céu da boca e abra a boca, tentando manter a língua grudada no céu da boca; segure por cinco segundos e relaxe.

O Incor fez um estudo com 39 pacientes divididos em dois grupos. Um grupo recebeu o tratamento convencional e o outro participou os exercícios durante três meses. Quem fez o exercício teve redução de 35% na frequência e de 60% na intensidade do ronco.

A avaliação dos resultados foi feita a partir de gravações dos roncos dos pacientes antes e depois do tratamento. Também foi levada em conta a percepção dos outros moradores das casas.

Apneia e coração
Quando a apneia ocorre há uma queda da oxigenação do sangue, aumento do batimento cardíaco e pressão arterial. As quedas e retomadas súbitas da oxigenação do sangue dezenas a centenas de vezes ao longo da noite são os principais gatilhos para o desenvolvimento das doenças do coração e vasos. A pessoa está em maratona durante o sono quando deveria estar descansando.

 

Dany Lederman

Fonte: Portal G1

23/11/15

Quer uma mente equilibrada? Conheça o alinhamento energético

Tatiana Auler, colaboradora do 30 Todo Dia, ensina a importância de estar com a mente equilibrada para levar o dia a dia mais saudável

Você não tem tempo para ler? Saiba que 30 minutinhos de leitura por dia podem ser essenciais para seu crescimento pessoal e sua saúde.

Foto: iStock

saude

Mas para isso, é importante estar com a mente equilibrada. E sabe o que pode ser importante para isso? O alinhamento energético. Nunca ouviu falar nessa técnica? Leia e reflita!

Alinhamento Energético

Sabe aquele dia em que você não consegue seguir sua rotina de exercícios físicos? Pois bem. Tente analisar exatamente o que te impediu.

Falta de tempo? Chuva? Sol? Cansaço? Preguiça? Esquecimento? Sem motivação? São várias as desculpas que usamos. Algumas aceitáveis. Mas muitas criadas por nós mesmos num ato de autossabotagem, sem que a gente perceba.

Acredito que, com uma mente forte, somos capazes de conquistar e também acabar com qualquer que seja o nosso objetivo.

Por isso, é muito importante cuidarmos bem da mente, alimentando nossos pensamentos com as ideias certas e com a energia positiva.

Nossa saúde mental tem um peso enorme no nossa motivação para a vida.

Já parou para pensar que podemos e somos influenciados por pensamentos que carregamos por anos e anos dentro da gente, de forma positiva e negativa?

Esses dias conheci uma terapia que tem muito a ver com esse assunto, chamada “alinhamento energético”.

Como o nome já diz, busca alinhar o pensamento com a emoção. O objetivo é pesquisar, entender e conscientizar as experiências passadas que, de alguma forma, atrapalham a alcançar nosso melhor potencial. E isso inclui nosso potencial físico!

Um dos diferenciais do alinhamento energético, quando comparado a outras terapias, é a frequência. Caso o cliente queira manter uma regularidade nas consultas, ele irá ao consultório apenas uma vez a cada três meses. Esse espaço entre as consultas acontecem por conta da profundidade que ela alcança em uma única sessão. São quatro encontros por ano. Porém, em uma consulta muitos aspectos já serão considerados.

O objetivo desse intervalo de três meses é que o paciente tenha tempo para buscar a adaptação a um novo padrão que foi conscientizado no encontro, explica Tatiana Auler, terapeuta que segue essa linha há 10 anos. “Ao longo da consulta, passamos por vários aspectos da vida do cliente, buscando um foco a ser trabalhado e identificando o núcleo da questão. O terapeuta capta as crenças que faz a pessoa desacreditar que é capaz de conseguir alcançar os seus objetivos.”

Conclusão
Baseada nos grandes xamãs e na física quântica, a base da terapia é que o paciente descubra que existem forças além da nossa mente, que podem nos influenciar. “Buscamos a energia que está presente em todos os lugares onde a nossa intuição pode captar”, ressalva Tatiana. Ela acredita que existam algumas formas de estimular a nossa motivação diária.

Então, preste atenção e anote estas dicas:

– Busque atividades que te deem prazer. Existem muitas possibilidades de se movimentar!

– Pegue uma folha e escreva no topo dela: “para que quero me exercitar?”

– Faça uma lista com 10 itens com os seus objetivos emocionais e físicos que te levam a praticar o exercício. Exemplo: para ser mais saudável; para emagrecer; para me sentir melhor; para ter um tempo só para mim….Nos dias em que estiver desmotivado(a), leia essa lista do item 3 e lembre-se do “Para que quero me exercitar”. Vai te ajudar a ter força para sair de casa. É muito bom também ler essa lista antes de suas atividades. Você estará dando um estímulo ao seu cérebro através dessas palavras.

– Crie uma rotina de atividades.

– Tenha um compromisso com você mesmo(a). Marque um horário para você na sua agenda.

– Crie uma frase de intensidade que te ajude a ter foco.

– Observe se suas emoções e pensamentos estão em harmonia.

– E a dica infalível que, particularmente, levo todos os dias na mente: vai lá e faz!

Dany Lederman

Fonte: Portal TERRA

19/11/15

Benefícios da musculação vão além do corpo definido

O exercício queima gordura, fortalece os ossos e até rejuvenesce

Difícil encontrar quem seja fanático por musculação, diferente do que acontece com corrida, natação ou ciclismo, por exemplo. O preconceito contra o treino baseado em repetições com cargas, no entanto, acaba colocando em segundo plano parte dos benefícios que ele oferece – deixar os músculos definidos e tonificados é só começo.”Há aumento de gasto calórico durante o exercício e o ganho de massa magra acelera o metabolismo, fazendo o corpo funcionar de maneira mais eficiente”, afirma a personal trainer Paula Loiola. Ela e outros especialistas mostram por que a musculação precisa entrar já para o seu programa de condicionamento físico.

1.Acelera o metabolismo

Que tal emagrecer mesmo fora da academia? A musculação torna isso possível. De acordo com o fisiologista Raul Santo, da Unifesp, o tecido muscular continua gastando energia mesmo quando estamos parados. O mesmo não acontece com o tecido adiposo. “Praticar musculação aumenta o tamanho dos músculos e diminui e quantidade de gordura do corpo. Isso faz com que o nosso organismo fique mais eficiente já nos primeiros dias de treino”, explica o fisiologista.

2. Deixa o corpo mais jovem

Tanto homens quanto mulheres começam a perder massa muscular mais acentuadamente a partir dos 30 anos de idade. Esse processo pode causar falta de equilíbrio e diminuir a coordenação motora em idosos que não praticam atividades físicas. Para ficar com as funções do corpo intactas e com a aparência mais jovem, fazer aulas de musculação quatro vezes por semana é o suficiente. “Além de barrar o processo de perda muscular, fazer musculação também combate a formação de acúmulo de gordura, processo mais comum depois dos 30 anos de idade e que deixa o corpo com aparência de mais velha”, diz a personal trainer Paula Loiola.

3. Perda de gordura e ganho de músculos

Quem está começando a praticar musculação pode ganhar peso. “Há um aumento na massa muscular antes da perda de gordura, já que esse tipo de exercício aumenta a circulação e a retenção de líquido nos músculos”, diz Paula Loiola. Depois de quatro semanas, já é possível notar a perda de gordura. “Essa troca, além de propiciar a perda de peso e deixar os músculos mais aparentes”, afirma a personal trainer.

4. Protege os ossos

Os músculos servem como um colete para o nosso esqueleto. Quando nossa musculatura está em forma e tonificada, as chances de fratura óssea são menores. Ela também diminui as chances de osteoporose, já que, quando fazemos exercícios intensos, há absorção de cálcio pelos ossos. “Ter músculos mais preparados protege as articulações, evitando torções e lesões causadas por outros exercícios”, afirma o fisiologista Raul Santo.

5. Trabalha grandes grupos musculares

A musculação trabalhar de maneira intensa grandes grupos musculares, e não apenas músculos específicos. “Exercícios como o leg press trabalham um grande número de músculos, gastando mais energia e, consequentemente, queimando mais calorias”, explica Paula Loiola.

6. Coração mais forte

Quando os exercícios conseguem trabalhar vários grupos musculares, eles melhoram também o funcionamento do coração, protegendo o organismo de doenças cardiovasculares. “Exercícios intensos controlam a pressão sanguínea, combatem o colesterol, além de deixar o coração mais ativo e saudável”, diz Raul Santo.

7. Aumenta a flexibilidade

Pode parecer estranho, mas os movimentos de contração muscular que acontecem na musculação aumentam a flexibilidade, diz um estudo apresentado no encontro da Associação Americana para a Medicina do Esporte. Pesquisadores compararam os efeitos do alongamento e da musculação na flexibilidade de músculos.

Durante o estudo, 25 pessoas foram divididas em dois grupos: um deles fez musculação durante cinco semanas e o outro, alongamento pelo mesmo período. Outras 12 pessoas foram usadas como grupo controle, permanecendo inativas. Os resultados mostraram que, bem orientada, a musculação aumenta a flexibilidade tanto quanto o alongamento.

8. Ajuda a fazer amigos

Ir à academia não é apenas bom para o corpo, é bom também para a mente. Como é um lugar onde a maioria das pessoas tem objetivos semelhantes, elas conseguem conversar e trocar experiências.

 

Dany Lederman

Fonte: Minha Vida

18/11/15

Cuidados com o couro cabelo: como lavar, evitar doenças e tratar feridas

Todo mundo sabe como cuidar do cabelo, mas e do couro cabeludo?
Ele deve ser higienizado assim como o cabelo.

Cabelo seco, oleoso, misto, normal… Todo mundo sabe como cuidar do cabelo, mas e do couro cabeludo? Não é porque o cabelo é oleoso que o couro também é. O Bem Estar falou sobre os cuidados com o couro cabeludo, como evitar feridinhas, como higienizar. Para falar do assunto convidamos a consultora e dermatologista Marcia Purceli e o dermatologista Ricardo Romiti.

Não existe uma classificação específica para os tipos de couro cabeludo. Ele é importante porque algumas doenças podem ter início nessa região. Por isso, na hora do banho, foco no couro cabeludo!

Ele deve ser lavado assim como os cabelos. A primeira passada de shampoo é para o couro cabeludo. Esfregue com a ponta dos dedos. Já a segunda passada é mais dedicada aos fios. Se a pessoa não tem nenhum problema, essa é a higiene básica.

Os especialistas lembram que cabeça coçando é sinal de alerta. O couro cabeludo não é para coçar. Pode ser dermatite, piolho, caspa, alergia. O ideal é procurar um dermatologista para investigar a coceira.

E nada de dormir com o cabelo molhado. O fungo gosta de cabelo úmido. Dormir de cabelo molhado ou usar o boné após o banho abafa a região. Não causa doença, mas se a pessoa tiver algum fungo ou doença, vai piorar porque aumenta a proliferação dos fungos e bactérias.

 

Dany Lederman

Fonte: Portal G1

17/11/15